NOTÍCIAS - Brasil

24/10/2003 - Brasil : bancários

sem título

Bancários da Caixa voltam ao trabalho após oito dias de greve

VITOR NUZZI

Maioria dos 55 mil funcionários terá reajuste de 12,6%

A greve da Caixa Econômica Federal em São Paulo acabou ontem, após oito dias, apesar de a proposta do banco ter sido rejeitada em assembléia feita na véspera. Como a proposta havia sido aprovada em quase todas as regiões, o movimento na Capital foi suspenso e o acordo será assinado. A proposta é similar à do Banco do Brasil, mas em alguns itens as diferenças são maiores, como na cesta-alimentação (de R$ 200 no BB e de R$ 100 na Caixa).

A executiva nacional dos bancários recomendou duas vezes a aceitação de propostas feitas pela Caixa. No caso do sindicato de São Paulo (que inclui Osasco e região), foram duas rejeições. Mas a segunda proposta, feita quarta-feira, acabou aprovada em outras regiões importantes, como Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. Como quase todas as assembléias foram favoráveis ao acordo, os funcionários da Caixa em São Paulo suspenderam a greve — na assembléia de ontem, havia 1.047 credenciados.

“Vamos encerrar a greve, mas não a luta”, disse o presidente do sindicato, João Vaccari Neto. Para ele, a campanha do setor público representou “o início de um período de mobilização da sociedade, buscando reconstruir os seus direitos”. Quanto às críticas recebidas pela condução das negociações, ele afirmou que “a democracia é um regime de debates”.

A Caixa pagará reajuste de 12,6% para a maioria dos 55 mil empregados. Em áreas técnicos, o aumento será de 10% e, em áreas de gerência, de 5%. O acordo inclui R$ 1.500 de abono e participação nos lucros ou resultados (PLR). (©Diário de S.Paulo)

Fonte: Diário de S.Paulo